Cigarro: fumar prejudica sua saúde e a sua pele

Fumar, além de fazer extremamente mal à saúde e ainda facilitar a incidência de diferentes tipos de câncer, também causa danos à pele. De acelerar o surgimento dos sinais de envelhecimento, como manchas e rugas, a estimular a flacidez. Leia a matéria e saiba os principais efeitos do tabagismo no seu visual.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O cigarro faz mal à pele?

Por ser fonte riquíssima de toxinas - cerca de 4.700 partículas por tragada - e outras substâncias maléficas à saúde, como a nicotina, o cigarro causa inúmeras agressões à pele. Esses danos não atingem somente a pele, mas como este é o maior órgão do corpo humano, eles se tornam mais visíveis, principalmente na região do rosto, onde a pele já é naturalmente mais fina. Isso porque o coquetel de substâncias presentes no cigarro promove o aumento na produção de radicais livres - moléculas instáveis que danificam a pele e aceleram o envelhecimento cutâneo.
 

Efeitos do tabagismo para a saúde e aparência da pele

Um dos resultados mais comuns do cigarro é a perda do colágeno natural da pele, que, então, se torna mais flácida e com menos tônus. Outro efeito é o surgimento de rugas e linhas de expressão próximos à boca, devido à repetição do movimento de tragar que, com o tempo, reduz a elasticidade e força da área. Ademais, um efeito similar que também causa incômodo é o aumento na incidência de manchas, que tornam o tom da pele irregular, levemente acinzentado e opaco.
 

Como tratar os danos causados pelo cigarro

Se você é ou já foi adepta do tabagismo é possível, sim, minimizar os danos causados à pele. Para isso, busque por produtos que aliem ativos antioxidantes e hidratantes, que vão fortalecer a pele diante desse agente agressor, o uso de cremes à base de ácido retinóico, hialurônico e antioxidantes, como a vitamina C. Já como procedimentos, podem ser feitas aplicações de toxina botulínica e preenchimentos para a atenuação de linhas de expressão.
 

Interromper o tabagismo previne o agravamento dos quadros

As alterações proporcionadas pelo cigarro, em geral, são irreversíveis. Porém, a interrupção do tabagismo previne novas mutações e evita que a produção de colágeno continue a ser reduzida além do normal. Para melhorar o aspecto envelhecido, a intervenção com tratamentos dermatológicos são de grande ajuda, mas os resultados podem demorar a aparecer. É importante ressaltar que o efeito da interrupção do tabagismo na pele não é imediato.

Fique atento aos sinais do seu corpo e procure sempre, um dermatologista, para prevenção de doenças cutâneas e tratamentos específicos.

Pele Dermatologia