Verão x Manchas na pele

Com a chegada do verão, os cuidados com a pele devem ser redobrados, pois os raios solares além de causarem doenças como o câncer de pele e desidratação, podem também ocasionar o envelhecimento precoce da pele e o aparecimento de manchas indesejáveis. Quem não tem uma manchinha no rosto, mesmo que pequena?

Existem diferentes tipos de manchas que podem aparecer no corpo, porém, entre elas, existe uma característica comum: todas são agravadas com a exposição excessiva ao sol. Fique atento!

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Tipos de manchas

A célula responsável pela pigmentação da pele, o melanócito, reage a diversos estímulos e agressões produzindo melanina. Saiba quais são os tipos de mancha que podem ser desenvolvidas:

- Melanoses ou manchas senis: são escuras, arredondadas e surgem com o passar dos anos no corpo devido a exposição prolongada ao sol. Essas manchas nos mostram o histórico de exposição solar ao longo da vida;

- Efélides ou sardas: manifestam-se na face de crianças ou jovens de pele, geralmente, muito clara após exposição em excesso ao sol;

- Melasmas: normalmente surgem após a gravidez, uso de pílula ou exposição ao sol e acontece com maior probabilidade na região das maçãs do rosto, buço e testa. Pode aparecer em outros locais, como colo e braços, mas são casos mais raros. Em geral, surgem pela combinação da gestação ou uso de pílula com a exposição solar;

- Manchas de pós-acne: aparecem depois do processo inflamatório da acne. No início, são manchas avermelhadas que podem se tornar amarronzadas;

- Ceratose seborreica: são lesões ásperas, escuras ou esbranquiçadas. Podem ocorrer na face, couro cabeludo, membros e tórax. Muitos pacientes a confundem com verrugas, porém o quadro é benigno e só traz incômodo estético.

Como evitar que as manchas apareçam

Evitar a exposição solar excessiva é sempre a melhor alternativa. O uso correto do filtro solar e de proteções físicas, como chapéu e guarda sol, auxiliam na prevenção de manchas. Vale lembrar, também, que a exposição ao mormaço também estimula a piora das manchas, e que o ideal é resfriar a pele sempre que o calor for intenso. Ao se expor ao sol ou calor, é interessante fazer o uso de antioxidantes via oral, pois auxiliam na proteção celular dos efeitos da radiação solar.

Tratamento para minimizar o aspecto visual das manchas

Para disfarçar as marcas no dia a dia, a maquiagem e os dermocosméticos com cor são as melhores e mais eficazes alternativas, mas claro, só para dar o efeito momentâneo. Já para diminuir de maneira prolongada o aspecto visual do quadro, podem ser realizados tratamentos com o uso de ácidos e cremes clareadores. Que devem ser acompanhados do uso de produtos a base de vitamina C. Esse tipo de creme potencializa o efeito do filtro solar e auxilia no clareamento. Outros procedimentos também podem ser realizados para um resultado ainda melhor em cada caso:

- Melanoses ou manchas senis: a primeira opção para o caso é a luz intensa pulsada, pois proporciona ótimos resultados. Também podem ser indicados o laser de CO2, peelings e a crioterapia;

- Efélides ou sardas: além da luz intensa pulsada, também com resultados muito favoráveis, o peeling superficial é uma alternativa;

- Melasma: mais resistente, o quadro possui respostas variáveis aos tratamentos. Atualmente, os tratamentos sugeridos são: peeling superficial, laser Q-switched e microagulhamento.

Fale com o seu dermatologista para um diagnóstico correto e tratamento efetivo! :)

Pele Dermatologia