Alongamento de cílios

shutterstock_420567526.jpg

Cada vez mais surgem técnicas de beleza para incrementar o visual feminino. O queridinho da vez é o alongamento dos cílios, que vem ganhando espaço no do hall da fama brasileiro. O procedimento que surgiu na Ásia e também é sucesso nos Estados Unidos, deixa os cílios mais volumosos e o olhar mais atraente. Entretanto, como tudo que envolve saúde ocular e dermatológica pode ser perigoso, a técnica exige alguns cuidados. Caso não seja feito por um profissional sério, a aplicação pode gerar alergias, irritações ou até prejudicar a visão.

O cuidado maior que se deve ter é com a cola usada para aplicar os cílios. Segundo especialistas, ela pode infeccionar ou causa alergia na região, ou até obstruir a raiz dos pelos naturais. Prejudicando assim, o crescimento ou a direção natural que eles nascem.

A aplicação

Antes do procedimento é feito um estudo do formato do rosto e dos cílios para decidir qual o tamanho adequado para a cliente. Feito isso, na hora da aplicação, uma almofada é colocada nos cílios inferiores para não correr o risco de colar com os superiores. O procedimento leva cerca de duas horas e tem validade de 30 a 90 dias. 

Os riscos

Como todo procedimento estético, deve-se ficar atento na hora de escolher um profissional.  Caso não seja feita de maneira correta, a aplicação pode acarretar os seguintes problemas:

Alergia ou irritação

Algumas pessoas são mais sensíveis a cosméticos, e podem sofrer irritação ou alergia. O ideal é que seja feito um teste prévio, no antebraço, com os materiais que serão usados no procedimento para identificar qualquer problema.

 Os cuidados pós-aplicação

Os profissionais indicam que evite o uso de máscaras de cílios ou qualquer maquiagem à prova d’água, curvex e o contato das mãos com os olhos. Também é contraindicado forçar a aceleração da queda dos fios artificiais. Deve-se esperar que eles caiam naturalmente para só assim fazer uma nova aplicação.

É importante lembrar que se houver qualquer problema na hora da aplicação ou sinais de alergia ou irritação após o procedimento, deve-se consultar um dermatologista. 

Kaline Ximenes