Filtro solar

O protetor solar é aquele item indispensável no dia a dia, ainda mais no verão e nesse climão de carnaval, que a gente fica embaixo do sol o dia todo. Por isso, ele não pode faltar na sua rotina de cuidados com a pele. E, por mais que o produto seja uma recomendação antiga dos dermatologistas, muita gente ainda tem dúvidas com relação ao seu uso. Para esclarecer as principais questões, a gente separou algumas das principais dúvidas para você. Confira:

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

1) Não precisa passar filtro solar em dias nublados ou chuvosos.

Mito.  Em dias nublados, pode chegar na superfície da Terra até 80% da radiação solar. Só a sensação de calor que fica melhor. Ou seja, podemos estar expostos a altos níveis de radiação mesmo em dias sem sol. Inclusive, muitas queimaduras solares acontecem em dias nublados e sem sol aparente. Atenção!

 

2) Ficar debaixo do guarda-sol, da sombra e usar barreiras físicas como boné e óculos são suficientes para proteger o corpo da radiação solar. Mito ou verdade?

Mito. Eles ajudam bastante, especialmente se forem feitos com material que contenham proteção UV, mas sempre com filtro solar específico para o seu tipo de pele em toda área exposta e sendo reposto a cada no máximo duas horas. Nunca esquecer que os raios UV nos atingem também através do reflexo na água e areia. Já a sombra, do mesmo jeito que nos dias sem sol, pode ter um alto índice de radiação ultravioleta, podendo causar fotodanos e queimaduras, principalmente porque “enganam” na sensação de pele queimada durante a exposição.

 

3) É necessário aplicar o protetor mais de uma vez ao longo do dia.

Verdade. Os filtros solares vão diminuindo seu efeito com o passar das horas. Mesmo que o produto seja à prova d'água ou resistente ao suor, pode perder sua eficácia pela metade, quando não são reaplicados depois do banho de piscina, mar ou após a atividade física.  Ou seja, para garantir uma boa proteção, reaplique o produto a cada 2 a 3 horas.

 

4) Não tem problema aplicar o filtro na pele úmida ou molhada.

Mito. A água ou o corpo úmido pode diluir o produto e diminuir consideravelmente a sua proteção. Portanto, antes de aplicar o filtro solar na pele, certifique-se que a região está bem sequinha. Assim, conseguimos ter uma defesa ainda mais eficaz, saudável e sem riscos de queimadura ou manchas.

 

5. Filtros em spray são tão eficientes quanto os em formato de creme

Verdade. A escolha do tipo de fotoprotetor deve ser baseada nas características da pele do paciente, desde que apresente FPS 30 ou maior e proteção para raios UVA ou proteção de amplo espectro.

 

6) O protetor solar ajuda a prevenir o envelhecimento.

Verdade. O envelhecimento resulta da combinação das ações dos raios ultravioletas do sol e dos fatores genéticos. Os principais tipos de raios solares são UVA e UVB. Os filtros solares protegem contra a radiação ultravioleta B - responsável pelo bronzeamento e queimadura da pele - e possuem um índice de proteção, chamado PPD, que protege dos raios ultravioleta A, evitando o envelhecimento precoce, a flacidez e as rugas.

 

7) Devo passar o protetor solar em todas as partes expostas, inclusive na orelha, mãos e lábios.

Verdade. Todas as partes expostas do corpo - rosto, orelhas, braços e mãos - devem utilizar filtro solar. E atenção: Quem tem cabelos curtos, precisa também aplicar nas orelhas. Calvos ou pessoas com poucos cabelos devem utilizar bonés e filtros solares específicos para áreas pilosas. Além disso os lábios também precisam ser protegidos.

Agora que você já descobriu todos os mitos e verdades do protetor solar, não deixe de usar o dermocosmético todos os dias - sejam eles ensolarados ou nublados.

Pele Dermatologia